É fácil falar que quer a mudança, que está cansado de tanta fraude, de tanta desigualdade social, mas o que fazemos pra que isso venha a acontecer?

Vale lembrar que somos nós quem colocamos os administradores de tudo o que temos!!

Pensem sempre no que fazem com seus votos!!

 

IMUTÁBILIDADE PARA O BEM


Porque muda-se tanto os conceitos?

Porque alteram tantos os ideais?

Porque ainda se tem os preconceitos?

Porque tamanhas desigualdades sociais?


Num país extremamente multicor,

num país extremamente multi-étnico,

não há aquela que possa se impor,

serie esse prepotente e aético;


porque nesse pais que dá-se nada?

É um País que cobra tanto?

Porque não sofrer uma guinada?

E carregar só a bandeira do encanto?


Porque manter os justos na prisão?

Pra que tanto dinheiro a quem faz nada?

Porque deixar no comando o ladrão?

Porque não mudar a esplanada?


Cadê a liberdade de expressão?

Porque ainda se elege o corrupto?

Pra que ser mais barato que o pão?

Porque esse enriquecimento abrupto?


O que fizeram pra merecer?

Será que são tão trabalhadores?

Mas porque, se deixam tantos à mercê?

Porque são caluniadores;


Sei que não queremos a mudança,

porque toda eleição nos carregam com a trolha

e nós gostamos e entramos nessa dança,

e deixamos assim fazer por nós a escolha!

Rodrigo Dias

16-06-2008

 Esse poema faz um tempinho que escrevi, estava parado por muito tempo, tentando voltar a escrever, mas as palavras nagavam-se a querer sair, dai consegui expulsa-las de mim dessa forma!

TRAJÉDIA


Tudo era belo como o céu,

meu respirar, meu pensar, meu escrever,

minhas palavras sempre doce feito mel,

era um gosto pra quem quisesse ler;


hoje já não há mais melodia,

não há palavras, nem sentimentos,

só há em mim horrenda melancolia;

dor saudade e sofrimento;


o que tenho hoje no meu peito

é um coração descompassado,

um pobre orgão triste e sem jeito,

que já senil das palavras, bate desolado;


tento paliar-me, mas é inútil,

pois quanto mais me adorno,

mais torno-me fútil,

fico ainda mais distante e sem retorno;


levaram de mim a poesia,

o meu prazer de todo momento,

levaram de mim a alegria

e estão levando também o meu alento;


por isso...

neste verso deixo o meu ultimo suspiro,

porque as palavras já se foram por completa,

e agora então sugiro,

que morra também esse poeta!


Rodrigo Dias

COMPARAÇÕES DA MINHA VIDA

Rodrigo Dias

 

Vagar de um lado pra outro...

Andar sem ter rumo certo...

Ficar só num mundo cheio...

Sentir agonia com alguém por perto...

Tudo o que faço causa arrepio...

Tentar ser bom num mundo de esperto...

Sentir-se invalido onde ninguém faz nada...

Ver algo num mundo de cegos...

Nadar ferido num lago repleto de piranha...

Andar descalço por sobre pregos...

Refrescar-se num poço de lava...

Será mesmo que náo é isso que sinto?

Será mesmo que náo é isso que faço?

Pois a vida me dá somente esse espaço,

Espaço esse que reajo por instinto...

Mas ainda assim sofro...

Sofro...

Sofro...

E...

Sofro...



VIDA PERVERSA
Rodrigo Dias

Vida! Devo a ti alguma coisa?
Vida! Ao menos sei quem tu és?
Vida! Porque cobrastes tanto de mim?
Explicar-me-á um dia pra que sirvo?
Mostrar-me-á o que sou?
Ou será que seguirei assim?
Perambulando pelo mundo a fora,
Vendo sempre quem gosto ir embora,
Dê-me só a chance de tentar descobrir-me,
Por isso vida...
Suma, saia e permita-me apenas...
Saber quem eu sou.

COMPUTADOR

Rodrigo Dias

 

À frente de uma tela fria,

Que não mostra sentimentos,

Nem me faz companhia,

Passo com olhos vidrados todo momento;

 

Noites silenciosas e solitárias,

Longe do mundo, da vida, do real,

Vivo assim por horas diárias,

É como um vício que trago do mundo virtual;

 

Lutar contra mim mesmo,

Sem ter o que fazer,

Fico assim por tempos a esmo,

Não tenho o que escolher;

 

O frio que nos deixa ébrios,

Se pararmos para olhar,

Pode também nos deixar sóbrios,

Se bem o souber usar.

SONHAR

Rodrigo Dias

 

Descer os degraus do sonho,

Pisar os degraus da vida,

Perceber que o mundo é tristonho,

Deparar com a realidade sofrida;

Vai-te, não pare de planar,

Plane nos mais longínquos sonhos

E sonhe com o mais alto vôo,

Olhe pela imensidão das suas asas,

Lute para manter-se nas alturas,

Pois assim não mais verá figuras

Sofridas, sem forças e iludidas,

Que não tem se quer comida,

Para alimentar os próprios sonhos.

SEM RESPOSTAS

Rodrigo Dias

O que será que tenho,

Aqui dentro do meu peito,

Que dói até mesmo se sonho,

Percebo que não há mais jeito;

 

Se durmo ainda assim pereço,

Pereço de amor,

Sofro com imensa dor,

Que arde, rasga e quebranta,

Esse pobre desconsolado coração,

Que nas escolhas sempre faz errado;

 

Porque nasci para sofrer tanto?

Afinal pra que nasci?

Tenho mesmo que viver assim?

São perguntas que não vejo respostas,

Nem mesmo os mais sábios

Podem explicar-me o porquê

De um coração tão tolo,

Que se ilude e me faz sofrer!

TRISTE VIVER

Rodrigo Dias

 

Viver e não ter razão,

Sofrer e não ter motivo,

Amar sem o coração,

Andar e não ter sentido;

 

Feliz quando se está só,

Amargo quando acompanhado,

Em meu mundo não existe dó,

Meu futuro é ser isolado;

 

Ver tristeza onde só tem gloria,

Nadar num mar de horror,

Ter derrota até numa vitória,

É essa a vida de um sofredor.

PRANTO

Rodrigo Dias

 

Chorar, chorar e chorar,

Essa é a vida que tenho atualmente,

Já que me impedem de amar,

 E de viver livremente;

 

Morrer, morrer e morrer,

O que esperar se não a morte?

Já que me impedem de viver,

Além do mais já não vejo a sorte;

 

Do que adianta ter tudo e não ter nada?

Ter a vida e não ter a pessoa amada?

O que leva esse pobre coração,

Ter esperança e viver de ilusão?

 

Chorar, sofrer e chorar...

Sofrer, chorar e sofrer...

Com isso não mais me espanto,

Pois meu triste ser vive de PRANTO!

[ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil
BRASIL, Nordeste, VITORIA DA CONQUISTA, Homem, de 20 a 25 anos